12 de janeiro de 2016
Dois mil e crise @ 22:52
0 comentários

Não acredito que alguém ainda leia este blog, mas se você tirou um tempo para ler esta publicação sinta-se abraçado, amigo, e desejo que seu amanhã seja bom. Cheguei aqui pelo Twitter porque este blog ainda é o que eu relaciono como minha página pessoal na internet (apego) e reli minha análise de 2013-2014. O curioso é que muito mudou - e isso já era esperado - mas eu ainda me sinto em paz, como falei em agosto do ano retrasado. 2015 não foi um ano simplório, não posso dizer que foi sem crises. Pelo contrário, houve muitas e ainda estou no processo de superá-las. Mas foi tão bom. Em 2015 eu me senti forte, me senti dona de mim mesma e portadora da minha paz. Nada vai superar isso tão cedo.

29 de agosto de 2014
Por onde andei @ 11:16
0 comentários

A pessoa que vos fala pede solenemente perdão pelo último post malcriado e por, após tê-lo publicado, ter apagado todos as antigas publicações do blog. Quatro anos de blog e dez anos de vida blogueira deletados em uma epifania de "me formei, e agora?". Vocês, naturalmente, sentiram profundamente minha falta e se perguntaram todos os dias (aqueles que não seguiram a sugestão do post anterior e foram amavelmente atrás de mim no Twitter, podem ir agora) onde andaria esta adorável moça. Pois bem, vamos lá.

Me formei, e agora?
Finalmente posso dizer que sou jornalista com diploma da UFRJ, após quatro anos de muitos, muitos questionamentos ("Eu não devia largar isso tudo e fazer vestibular de novo?"; "Tudo bem pra mim ser pobre pelo resto da vida?"; "Por que o semestre não acaba?"; "O que tem que entregar na próxima segunda mesmo?"; dentre outros, além da tradicional conclusão de que eu devia ter feito Direito), uma monografia sobre a novela Avenida Brasil parida após muitos meses de contrações, uma colação de grau oficial no final de janeiro, uma colação de grau fake - aquela em que você escolhe uma música para pegar o diploma fake (depois de muito sofrer, escolhi o refrão de Paradise do Coldplay e me arrependo até hoje) e de um baile de formatura em que passei 90% do tempo dançando (e também me arrependo até hoje, já que todos os meus convidados têm várias fotos entre eles e as minhas são todas na pista de dança, suada e com o cabelo bagunçado).


A carioca aqui se aventurou por São Paulo
Eu estava fazendo estágio na ONU (uma das coisas legais que aconteceram em 2013, mas eu não salvava criancinhas na África, só escrevia para o site) quando uma coisa inesperada aconteceu: fui uma das 25 selecionadas para o 4º Curso Estado de Jornalismo Econômico, do Estadão. Saí do estágio, aproveitei o Carnaval como nunca tinha aproveitado antes (eu nunca pulei Carnaval, na verdade), abracei os amigos e fui para São Paulo com a sensação de que a vida nunca mais seria a mesma, com apenas uma semana para achar um canto para morar antes que meu pai voltasse para o Rio. E não foi, mesmo. Fiz amigos que também vinham de outros Estados e eram aliens como eu na terra da garoa, estive na redação de um dos jornais mais antigos do País (o Estadão circula desde 1875, quando era chamado de A Província de São Paulo) e confirmei que as áreas de que mais gosto em Jornalismo são Política e Economia - e Internacional, consequentemente. Jornalismo não era uma causa perdida para mim, eu só tinha de descobrir o que realmente gostava. Os três meses mais incríveis, em que em alguns momentos eu me perdi para me encontrar. E no final do curso ainda publicamos um caderno no jornal questionando o pleno emprego e um especial multimídia no site.


Fiquei em paz
Foi difícil, mas acho que cheguei a um estado de espírito que é a tal paz de que as pessoas tanto falam e tanto buscam. Foi preciso uma fitinha do Senhor do Bonfim amarrada no tornozelo para me lembrar todos os dias de ser paciente, excluir o Facebook e entender que tudo bem me perder de vez em quando, eu vou me encontrar. Não é que é verdade aquilo que falam de que com o tempo a maturidade chega e aprendemos a tornar nossa paz inabalável aos outros? Voltei para o Rio no início de julho e parece que estou exatamente no lugar e no momento certo, com coisas boas acontecendo e um freela de que estou gostando.

Marcadores: , ,


21 de janeiro de 2014
Blog fechado @ 13:41
0 comentários

Após quase quatro anos no ar, este blog está oficialmente encerrado. Continuo no Twitter. Venham todos, venham a qualquer hora, mas venham em paz.